CADERNOS DA

SOCIEDADE DE

ESTUDOS E PESQUISA

QUALITATIVOS

Conteúdo
Apresentação
i
Introdução
iii

O Mecanicismo da Física na Psicologia e a
Perspectiva Fenomenológica

(Marcos C. D. Neves e Washington L. P. Carvalho)

1

A Fenomenologia como Alternativa Metodológica
Para Pesquisa - Algumas Considerações.

(Joel Martins, Magali R. Boemer e Clarice A. Ferraz)

33

Sobre a "Origem da Geometria"
(Maria Aparecida V. Bicudo)

49

Notas sobre o Seminário Realizado pelo Prof. Amedeo
Giorgi sobre a Fenomenologia e a Pesquisa
Qualitativa em Psicologia

(Maria Aparecida V. Bicudo)

73

Resenhas:
A Pesquisa Qualitativa em Psicologia:
Fundamentos e Recursos Básicos
- EDUC/MORAES: S.PAULO 1989 -

(Vitória Helena Cunha Espósito)

89
Formação do Professor:
Atualizando o Debate
- Cadernos PUC nº 4 EDUC: 1989 -

(Raquel Volpato Serbino)
93


Apresentação

É com prazer e satisfação genuína que apresento ao público acadêmico do Brasil, a publicação do primeiro número de uma série denominada "Cadernos", produzida pela Sociedade de Estudos e Pesquisa Qualitativos. Alguns agradecimentos se fazem necessários. Em primeiro lugar, aos membros da sociedade que apresentam seus trabalhos que foram discutidos nas reuniões mensais durante o ano de 1989. Em segundo lugar, agradecimentos devidos à dedicação, energia e disponibilidade dos membros da diretoria que diligentemente congregaram esforços para que todos os trabalhos discutidos fossem publicados neste primeiro número.

Porque uma sociedade de Estudos e Pesquisa Qualitativo? Esta denominação e agremiação surgiu dos esforços conjugados de vários pesquisadores interessados em formas alternativas de pesquisa. Há uma confusão entre dados quantitativos e argumentos qualitativos. Isto acontece mais freqüentemente do que se possa suspeitar. O tratamento da experiência humana e dos seus significados não pode ser feito, ou conduzido, através de métodos que não sejam adequados e, certamente, não deveria eliminar a pesquisa que procura lidar com significados, cuja finalidade é aumentar o conhecimento sobre o fenômeno humano, a fim de fazer justiça aos fenômenos, à medida que são eles experenciados pelos seres humanos, é preciso focalizá-los através de métodos consistentes e adequados.

O enfoque adotado pelos pesquisadores, não apenas neste primeiro número, mas também nos números subseqüentes, não se restringe a método ou a estilo, mas deverá por em evidência a possibilidade da pesquisa ser conduzida de tal forma que um diálogo entre enfoque, método e conteúdo seja consistente e, portanto, mantenha um rigor. A não existência de um estilo ou método não implica que não haja rigor. Ao contrário, a questão que se propõe à pesquisa cuja natureza é qualitativa, leva em consideração o contexto no qual a pesquisa se realiza. Isto implica no contexto social e cultural do pesquisador. Este deverá produzir um diálogo com os outros pesquisadores; assim, questões diferentes referentes a diversos aspectos da pesquisa em ciências humanas em diferentes contextos deverá, também, levar a vários métodos e estilos se o pesquisador for coerente. Esta é a razão porque há uma variedade de estilos e enfoques nesta publicação e nas outras que deverão aparecer oportunamente. A pesquisa não deveria ser independente de tempo, de lugar e de pessoa, da mesma forma que a verdade não aparece de forma estéril privada de dinamismo. Tem sido regra geral, na pesquisa ocidental, em ciências humanas, destruir estas variações que em última instância levam a um único meio na produção do conhecimento.

Não pretendo chegar a análises pormenorizadas dos trabalhos publicados no presente número, mas o leitor atento poderá notar que alguns temas, discutidos por diferentes autores, retornam sempre a um ponto principal, inicial, ou seja, o desafio à necessidade de usar recursos qualitativos como método e de refletir sobre a pesquisa como um empreendimento muito mais compreensivo da ciência do que tem sido pensado.

Joel Martins



Introdução

Os artigos que compõem este Caderno Número 1 da sociedade de Estudos e pesquisa Qualitativos forma apresentados e discutidos pelos sócios em reuniões mensais mantidas pela Sociedade.

Refletem preocupações e encaminhamentos de interrogações presentes aqueles que constituem a Sociedade. Todos são produto de procedimentos tidos como apropriados a pesquisa do fenômeno posto sob foco do interesse do pesquisador na modalidade do pesquisar qualitativo. É isso que os une e não os próprios temas abordados. E há que ser assim, uma vez que os sócios dessa sociedade são provenientes de diferentes regiões do saber humano: da Física, da Filosofia da Educação, da Psicologia da Educação, da Biologia, da Enfermagem, de Currículos e Programas. Porém todos buscam modos de pesquisar diferentes daquele da Ciência Positiva. E, além disso, comungam de concepções semelhantes de mundo e de homem.

Os artigos seguem uma seqüência marcada pela história de sua apresentação. É objetivo da sociedade publicar trabalhos apresentados e discutidos pelos seus sócios e, preferencialmente, inéditos.

Nestes volumes os artigos apresentados são: "O Mecanicismo da Física na Psicologia e a Perspectiva Fenomenológica", elaborado e apresentado por Marcos César Danhoni Neves, doutorando do Programa de Psicologia Educacional da
Universidade Estadual de Campinas, e Washington Luiz Pacheco de Carvalho, também doutorando desse Programa e Professor Assistente do Departamento de Ciências da Universidade Estadual paulista, Campus de Ilha Solteira, apresentado a Sociedade em maio de 1989; "A Fenomenologia como Alternativa Metodológica para Pesquisa: algumas Considerações", cujos autores são Dr. Joel Martins, Professor Titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Magali Roseira Boemer, professora Livre-Docente da Universidade de São Paulo, Campus de Ribeirão, e Professora Clarice aparecida Ferraz, Professora Assistente da Universidade de São Paulo, Campus de Ribeirão Preto, apresentado a Sociedade em junho de 1989; "Sobre a Origem da Geometria", elaborado pela Dra. Maria Aparecida Viggiani Bicudo, Professora Titular da Universidade Estadual Paulista, Campus de Rio Claro, apresentado a Sociedade em agosto e setembro de 1989; "Notas sobre o Seminário realizado pelo Prof. Amedeo Giorgi sobre Fenomenologia e a Pesquisa Qualitativa em Psicologia" foram elaboradas pela Dra. Maria Aparecida Viggiani Bicudo.

O Artigo "A Fenomenologia como Alternativa Metodológica para pesquisa: Algumas Considerações", enquanto publicação, não é inédito, pois está para ser publicado pela Revista da Escola de Enfermagem da USP, volume 24(2), 1990. Porém, enquanto apresentação, este foi exposto, em um primeiro momento, em reunião da sociedade. Além disso, ele aparece neste Caderno porque, quando da sua apresentação, gerou polêmica, a qual foi retomada e pesquisada pela Sócia Profa. Vitória Helena Cunha Espósito, que está elaborando artigo a ser apresentado dia 26 de outubro de 1990, na reunião mensal, sob o título "A Hermenêutica: Idéia Básica".

O artigo "Notas sobre o Seminário realizado pelo Prof. Amedeo Giorgi sobre Fenomenologia e a Pesquisa Qualitativa em Psicologia" aparece neste Caderno porque o Dr. Amedeo Giorgi
é um pensador de grande força e destaques nos meios onde são pesquisados temas de Psicologia da Aprendizagem. Ele é um dos primeiros a abrir caminhos para tratar tais temas sob a modalidade do "Fenômeno Situado" nos Estados Unidos da América do Norte. Fundamentou seus estudos na Fenomenologia e construiu uma ponte ligando os embasamentos fenomenológicos aos procedimentos de pesquisa na área da Psicologia da Aprendizagem. Fez escola nos Estados Unidos. Fundou um Instituto de Estudos e Pesquisa Qualitativa em São Francisco, nos Estados Unidos da América do Norte. Veio ao Brasil, em 1988, como Professor Visitante da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e, durante sua estada em São Paulo, apresentou a síntese do seu trabalho em uma jornada de trabalho que durou oito horas, no Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. Essa síntese é transcrita pela Dra. Maria Aparecida Viggiani Bicudo a partir de suas próprias anotações e respectivas compreensões e interpretações do que ouviu naquele evento.

A Sociedade decidiu publicar tais "Notas sobre o Seminário realizado pelo Prof. Amedeo Giorgi sobre Fenomenologia e a Pesquisa Qualitativa em Psicologia" porque considerou que as mesmas fornecem embasamento para a pesquisa Qualitativa do Fenômeno situado e explicitam muitos aspectos considerados relevantes por esse modo de pesquisar.

As "Resenhas" aparecem por serem de publicações de sócios da sociedade. A Comissão Editorial considerou que a divulgação de seus trabalhos é um dos objetivos da sociedade.

Maria Aparecida Viggiani Bicudo